Textos
2 de março de 2015

Sinopse

Peer gynt

Sinopse

ESTREIA: SETEMBRO DE 2006

LOCAL: TEATRO DE ARENA DO ESPAÇO SESC, RIO DE JANEIRO

ELENCO ORIGINAL: LILIANE XAVIER, MARIA REGO BARROS, MONA VILARDO, MÁRCIO NASCIMENTO, MÁRCIO NEWLANDS E MARIO PIRAGIBE

PRÊMIOS E INDICAÇÕES: PRÊMIO SHELL DE TEATRO (MELHOR CENOGRAFIA, MELHOR DIREÇÃO)

Em 2006, ano do centenário da morte de Henrik Ibsen, a Cia. PeQuod se propôs o desafio de encenar Peer Gynt, obra extremamente complexa do dramaturgo norueguês. Para contar a epopéia do anti-herói Peer Gynt, uma espécie de Macunaíma norueguês, a Cia. PeQuod põe atores e bonecos em pé de igualdade, num jogo cênico onde ambos se complementam de forma incomum. O cenário, embora funcione como uma coxia aparente, consistindo numa intrincada estrutura de fios, pesos, lastros, tecidos e escadas, é pródigo em surpresas, pois todos os elementos de cena – e mesmo alguns personagens – vêm do teto. Aliados a tudo isso estão uma luz rica em detalhes, um figurino diversificado, uma trilha sonora que alterna o clássico e o contemporâneo, adereços confeccionados com delicadeza e nenhuma obviedade. O espetáculo prova que os limites do teatro são redefinidos a cada dia. E lembra que Ibsen, ainda hoje, rima com inovação e atualidade.